quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

FORÇA ANTES DO TALENTO, by Alexandre C. Aguiar

A montagem de um time de futebol para início de temporada é desgastante e repleta de energia. Em alguns momentos, frustrante. É a hora em que pipocam chutes, especulações, balões de ensaio e investidas diretas e, na maioria, cretinas. Afinal, isto é um mercado antes de consolidar uma montagem de qualidade. Aliás, me incomoda essa coisa de atestado de qualidade.
Frequentemente, eu faço a pergunta a qual ninguém responde: o que é um time com qualidade? Talvez não respondam porque usam a palavra como algo bonitinho, ou porque acham que se confunde com sofisticação, que no esporte pode ser o mesmo que habilidade e competência, ou talento, quem sabe. É possível que usem para detonar o time mesmo, com aquela velha mania de reclamar de tudo, e imputam que “o time não tem qualidade”. Ou nem sabem mesmo o que é e a usam pra posar de sabidos. Sei lá. Como ninguém responde, eu posso deduzir que as coisas são jogadas no ar por pura ansiedade mesmo. Ninguém sabe ao certo o que quer e opinam apenas por pura ideia fixa, aquela de que todo brasileiro entende de futebol.
O fato é que para se montar uma equipe forte já no começo de temporada e torna-la competitiva ao longo do ano, deve-se investir principalmente na parte física. É aí que mora o perigo. Noventa por cento mais dez dos jogadores de futebol em começo de temporada se apresentam completamente fora de forma. Claro, falo da realidade do Brasil. Talvez nossos jogadores ainda não tenham compreendido que o futebol virou esporte de atletas, ainda que se torne espetáculo em alguns momentos. Ou seja, é a conjunção de um show com os músculos em dia. Difícil conjugar isso para quem ainda ache que é tudo uma festa, tanto nas arquibancadas como dentro dos gramados. Deixou de ser há muito tempo, se ainda não sabem.
Dessa forma, ao montar uma equipe, eu iniciaria por um projeto espartano, buscando exatamente os jogadores com saúde em dia, com histórico pequeno de lesões e com potencial de chegar ao fim da temporada jogando e decidindo um campeonato. E poupa-se dinheiro com um DM repleto e tendo que buscar “peças de reposição” depois.
Isto é qualidade e é isto que define um time vitorioso.
– Ei, mas e aqueles jogadores talentosos, onde ficam?
Claro que deve estar no time e são indispensáveis, mas quem irá correr por eles?
* Alexandre Carlos Aguiar é associado do Avaí FC e proprietário do blog Força Azurra

4 Comentários:

Rodrigo Póvoas disse...

Você mencionou uma expressão que sintetiza muito bem essa forte ansiedade do torcedor diante de qualquer insucesso: "o time não tem qualidade”. Creio que essa expressão está muito vinculada ao imediatismo presente no futebol brasileiro. Um imediatismo que transforma o futebol em corporativismo e que muitas vezes desgasta a identidade de um clube.

André Tarnowsky Filho disse...

R.Póvoas,

Verdade. Aliás, ano passado, não podemos esquecer que escapamos por muito pouco, apesar de classificarmos com folga para a elite...
Este ano não vai ser muito diferente...
Muita reza e muita torcida!

André Tarnowsky Filho disse...

Daniel Salles,

Concordo plenamente!

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo