segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O JOGO, O AVAÍ, O MARQUINHOS, by Roberto Costa

Já fizemos jogos melhores que o de ontem, mas merecíamos ter ganho. Como sempre, cedemos o tempo de posse de bola ao adversário. Com isso, o Joinville trocou passes, assediou, apareceu mais no palco do jogo, mas não obteve desestabilizar nossa retaguarda e nosso goleiro não fez nenhuma defesa de vulto.

Quanto a nós, fomos mais objetivos. Ainda que retendo menos a bola, levamos por várias vezes perigo à meta joinvilense, criamos mais chances de gol, ora com Rômulo, ora com Júnior Dutra. O jovem goleiro adversário fez no mínimo duas defesas de vulto, inclusive defendendo o pênalti cobrado pelo Marquinhos. 

Destaques no Avaí, Betão e Alemão. Júnior Dutra esteve bem.

Assim como não se pode tapar o sol com a peneira, entendo que a maneira de administrar o Marquinhos no Avaí talvez necessite ser repensada. A qualidade do jogador é indiscutível, mas falta-lhe a energia para fazer em campo a diferença que esperamos que faça. Talvez o Marquinhos deva esperar um pouco mais, fortalecer-se, apurar a musculatura.

Nada contra o Galego, admirei sempre o futebol desse atleta, sua visão de jogo privilegiada, sua precisão nos passes, longos ou curtos, e sobretudo suas cobranças de faltas a gol. Tecnicamente, é o mais completo do plantel e ficarei feliz de vê-lo gastando a bola, como sempre fez, mas ontem, por volta dos vinte e cinco minutos do segundo tempo, começamos a não chegar mais ao ataque. As bolas que retomávamos ao adversário não ultrapassavam nossa intermediária, retornavam sobre a defesa, e Marquinhos, sem gás, pouco se movia, já passeava em campo. Então, foi visível que a entrada de sangue novo substituindo o Galego deu vida nova ao time, nos fez atuantes de novo no ataque. Taí uma questão para Claudinei pensar e repensar.

Ainda sobre Marquinhos, encerrado o jogo, repórter perguntou-lhe: Marquinhos, e o pênalti? Resposta, justificando-se: Bati como venho batendo sempre. Pois é, Marquinhos, a gente não bate sempre do mesmo jeito. Pessoas estudam tapes dos batedores, suas qualidades, suas manias, orientam seus goleiros. Pois é, o jovem goleiro não saiu do lugar, o meio do gol, onde você sempre vem batendo...

* Roberto Costa é associado do Avaí FC. Foto acima: reprodução da TV

4 Comentários:

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Poderiam mudar a frase para "só bate quem perde".

Roberto disse...

Pois é, bater pênaltis é o fraco do Marquinhos, eu acho. Convém treinar mais alguns. RC

André Tarnowsky Filho disse...

RC,

Sim, e acaber com essa dependência...

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo