sexta-feira, 24 de março de 2017

BARRADOS NO BAILE, by Alexandre C. Aguiar

Ninguém é louco em dizer que seria um jogo fácil, este do Avaí contra o Tubarão, jogado no excelente horário (inventado por um jegue!) de 19:30 de uma quarta-feira à noite. Ninguém é maluco de afirmar que, depois dos 7 a 0 tomados pelo Tubarão contra a Chapecoense, o Avaí iria enfiar uns 8 ou 9 e dar espetáculo. Qualquer anta sabe que o time do Tubarão, embora limitado, joga certinho e arrumadinho, mas é só forçar que entrega. Todavia, o Avaí fez um esforço danado para ser humilhado, ah, se fez.

Para começar, colocar o fraquíssimo Gustavo Santos como lateral titular num jogo de futebol profissional é pedir para se entrar de graça no estádio. Sem comentários a respeito das patacoadas proporcionadas por ele. A propósito, ele seria o cara que, no meu time da rua, ficaria atrás do gol para apanhar as bolas que caem na vala. Sei de gente que reclamava aos brados do Bocão. Com licença, vou ali dar uma risadinha e já volto.

Depois, o limitadíssimo Renato Junior, do já limitado time do Avaí, deu mostras suficientes de que não pode ser titular deste time. Sequer se pensar em ele ser um “componente de grupo”. Muito menos assumir a posição de primeiro volante para dar cobertura aos laterais e auxiliar à zaga. Jogar num 4-1-4-1 com ele ali, comandando a defesa, é suicídio. E não deu outra coisa nesta noite que se desenhava como horrorosa. Tomamos um baile no primeiro tempo, que só não foi mais desastroso e antológico, porque o Tubarão só tem agressividade no nome.

Claro que, como diz o pessoal que ameniza tudo, nos superamos, e “si consagremo” num jogo totalmente sem prognósticos, graças à experiência de alguns jogadores, à força do conjunto que nos levou à Série A e à mexida no esquema e no conjunto da obra do próprio técnico.

E é neste ponto que faço os questionamentos: o que faz um treinador na beira do campo que não enxerga o desastre acontecendo? Ele não sabe que no futebol moderno se troca pneu com o carro andando? Faltou o quê para um treinador deste naipe não arrumar, ao menos, o esquema ou o posicionamento dos jogadores? Quando fez o curso de treineiro não disseram que ele já pode substituir jogadores ainda no primeiro tempo, quando não estão rendendo? Parece que anda ouvindo demais o seu auxiliar, que era bom como atacante, mas péssimo conselheiro.

Que ninguém se engane, este time do Avaí irá jogar o Brasileirão da Série A exatamente desse jeito e com estes jogadores. Terá um volante mais brigador, mas ajudado no meio de campo por um cone, por um outro que se acha o Messi e outro que se acha o Drogba. E deve tomar bailes históricos e apoteóticos de times mais qualificados. Aquilo que escrevi em minha postagem anterior coube como uma luva para esta partida.

Ou então que o treinador avaiano faça, já no primeiro tempo, o que fez no segundo tempo. Coloque um jogador como Lucas Otávio (é isso mesmo?) para comandar o meio de campo, mande os outros para dentro da defesa adversária e quem sabe saia um gol de cabeça feito por um cone, para alegria de alguns.

Estou indignado? Sim. Porque depois de largar a Copa da Primeira Liga aos meninos e esnobar a Copa do Brasil, perdendo uma boa bolada de dinheiro, só faltava deixar de conquistar o Estadual para afirmar que “faz parte do futebol”. Ô, gente que pensa pequeno!

Segue o baile.

* Alexandre Carlos Aguiar é associado do Avaí FC e proprietário do blog Força Azurra. Foto acima: Avaí FC/Divulgação

8 Comentários:

Roberto disse...

Concordo, e acho que pelo menos mais uns dois ou três bons reforços já deviam estar jogando, se entrosando, ajudando a conquistar o título Estadual e visando uma boa entrada no Campeonato Brasileiro.

Do Vinicius, que vinha do A. Paranaense, nada mais se soube.
Pelo que disseram, era "o cara" e viria para dar consistência ao meio de campo.

O Joceli já não canta, está na muda?- RC.

Roberto disse...

ANDRÉ, eu de novo. Ainda que seja apenas a impressão de um único jogo, gostei da movimentação desse Rafael Ratão do Tubarão. Acho que vale a pena observar. - RC

Alexandre Carlos Aguiar disse...

RC, informações de fonte segura (rsrsrs) dão conta que quem manda e manda muito é o auxiliar, aquele da lamparina, tás entendendo?

marcos disse...

Se quem manda é o Evando, então o Avaí deveria efetivá-lo como técnico. É mais barato.
Dar ouvidos a disse-me-disse é coisa de candinha.

André Tarnowsky Filho disse...

RC,

Também concordo e creio que já estamos bem atrasados. Não podemos nos nivelar pelos outros clubes do Catarinense.
O Joceli está na muda faz tempo...
E até melhor que fique quieto mesmo: do que falou em dezembro, muita coisa ficou na vontade...

André Tarnowsky Filho disse...

RC,

Concordo, é outro jovem atacante, 21 anos, mas merece ser observado. Aliás, bem melhor que o Renteria, sugestão tua tempos atrás...

André Tarnowsky Filho disse...

Aguiar,

Ainda tenho minhas dúvidas sobre essa informação, mas...

André Tarnowsky Filho disse...

Marcos,

Muita calma nessa hora!
O Aguiar não é nenhuma candinha, posso te garantir...

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo