sexta-feira, 3 de março de 2017

Bom dia, Azurras - nº 2.485

ENSINAMENTOS PARA UM FUTURO PRÓXIMO
Nunca gostei dessa conversa de "poupar" jogadores. Creio que não funciona bem, ainda que muito aplaudam em nome da opinião dos especialistas e até de um planejamento das comissão técnica.

Salvo engano, e creio não estar errado, o Avaí abdicou de jogar com a equipe principal a partida com o Londrina em função dos seus compromissos pelo Campeonato Catarinense, mas em momento algum deixou de pensar alto na Copa do Brasil

Verdade seja dita, quer alguns "intelectuais" aceitem ou não, a eliminação contra o Luverdense deixou toda a diretoria avaiana, bem como comissão técnica e jogadores, com o astral no pé, e se eles estão desse jeito, podemos imaginar o ânimo da torcida...

Aliás, em sua entrevista coletiva, que ouvi na manhã de ontem pela Rádio Guarujá, o técnico Claudinei Oliveira, que elogiei esta semana e sigo elogiando, citou sobre os prejuízos para o clube e para os próprios jogadores.

Como disse ontem, a eliminação da Copa do Brasil custou muito caro para o Avaí, não só pela cota que receberia, caso avançasse na competição, mas até pelos confrontos milionários contra o Corinthians, e beira a idiotice dizer que o Timão enfrentaremos na Série A...

Perdemos tecnicamente, porque aceitem ou não, um embate contra o Corinthians, com um orçamento infinitamente maior que o do Avaí, poderia fazer com que o nosso "termômetro" trabalhasse melhor. Afinal de contas, nossos confrontos domésticos, com equipes que alugam o próprio campo para pelada de associados, pouco acrescentam...

De qualquer forma, ainda que de forma surpreendente e decepcionante, há que se entender todos os ensinamentos trazidos pela eliminação. Não tenho dúvidas de que o Avaí vem fazendo uma bela campanha no Catarinense, que já estamos na final, mas não podemos fechar os olhos para nossas necessidades para a principal competição deste ano, que é o Campeonato Brasileiro da Série A.

Ainda que pontualmente, há que se buscar reforços.




NÃO GANHAMOS NADA
Vale salientar, que apesar de ter conquistado o turno com uma rodada de antecedência, etapa que será concluída no domingo, com o passaporte carimbado para a grande final, a única coisa que temos garantida é a Taça Atlético Nacional de Medelin.

Sim, o Avaí está na final, e isso também é uma garantia, mas para que a última partida do Catarinense no dia 7 de maio seja realizada na nossa bela Ressacada, há que se manter a vantagem construída até aqui, ou seja, é preciso seguir jogando e ganhando.

Por isso mesmo, contra o Internacional de Lages, espero que esqueçam essa balela de "poupar" jogadores. O Leão já entrará em campo sem Diego Jardel, suspenso pelo terceiro cartão amarelo e contundido, o que abre espaço para experimentar um "sangue novo", quiçá Marcelinho, que vem entrando em poucas partidas e por poucos minutos.




O GOL ANULADO
Parece que teve gente que não me entendeu, ou preferiu não entender, o que escrevi na Bom dia, Azurras de ontem, mas posso repetir alguns trechos que acho interessante:

"O placar do primeiro tempo ficou assim, mas não sem antes afirmarmos que o Leão foi prejudicado pela arbitragem num gol mal anulado de Denilson, que poderia ter dado um novo ânimo para o Leão na segunda etapa."


Se alguém não percebeu, não precisei ouvir os comentaristas de rádio, até porque estava encarando algumas geladas no entorno da Ressacada, para dizer que fomos prejudicados pela arbitragem. O gol de Denilson foi legal, até porque não houve falta de Alemão sobre o zagueiro do Luverdense. A imagem atrás do gol mostrou muito bem o que estou afirmando, conferida por nós no mesmo instante através da televisão no camarote da Tintas Killing.




JOGAMOS BEM
Creio que ainda tenho liberdade para expressar nesse espaço o que entendo sobre o Avaí. O fato de ter criticado a atuação da equipe na quarta-feira, de não ter aceitado a derrota para uma equipe organizada, mas inferior ao Leão, não me torna um corneteiro, como julgou um boçal nas redes sociais. Aliás, sobre o Avaí, também escrevi ontem:

"O Avaí até foi melhor na partida, com mais chances de gol, com mais presença no campo adversário, mas insuficiente para desempatar a partida e fugir das penalidades, que virou um pesadelo no Sul da Ilha..."

Diga-se de passagem, apesar de ter sido melhor que o Luverdense, creio que o Avaí seria ainda mais contundente se tivesse entrado em campo com uma outra formação no meio de campo. O que o técnico Claudinei Oliveira escalou na quarta, foi o mesmo que perdeu o domínio do meio de campo no 0 a 0 do clássico.




A BRONCA DO CARLOS AVAIANO
"Mais uma vez vou perder pra TV, horário inviável, trabalho em São José até as 19:00h. Sorte ter canal pago ou ficaria no rádio. Muitos acabaram se acostumando com canal pago e abandonaram a Ressacada por causa dessa teimosia da nossa diretoria em não negociar com as poderosas um horário mais acessível em função da localização do estádio e os acessos."

Carlos Henrique da Rosa, o Carlos Avaiano, é associado do Avaí, com quem assino junto e seu comentário vai ao encontro do que escrevi esta semana: jogos na Ressacada às 19:30 ou aos domingos à noite, não passam de piadas de mau gosto...




E POR FALAR EM ACESSO...
Como está na parte final do comentário do Carlos Avaiano, precisaríamos de um horário melhor, até em função da localização do estádio e dos acessos, mas quero deixar no ar uma pergunta: até quando o torcedor avaiano terá que esperar pela duplicação completa daquele trecho da Rodovia Diomício Freitas?

Beira o absurdo que não dupliquem a rodovia, que está praticamente pronta da ponte ao trevo da Ressacada, por causa de quatro ou cinco casas entre o trevo da seta e a ponte...

Se a média de público do Avaí está em quase 7.000 torcedores no Campeonato Catarinense, é óbvio que a tendência desse público é aumentar durante o Campeonato Brasileiro de Série A, inclusive com a vinda de torcidas visitantes.

Ao que tudo indica, vamos perder um bom tempo nas intermináveis filas...




POLÍTICA
Creio que já passou da hora dos dirigentes avaianos tentarem o apoio político de todos, quer na prefeitura, no Governo do Estado, na Câmara Federal e no Senado. É preciso parar de empurrar com a barriga essa situação vexatória.

E antes que apareça algum tanso achando que essa obra irá beneficiar o Avaí, vale lembrar que ela faz parte do acesso ao novo aeroporto da Ilha, ou seja, é o nosso cartão de visitas...

Quando falo em buscar apoio político, estou falando em termos objetivos. Ninguém quer que apareçam na Ressacada para bater fotos, como fizeram Ideli Salvatti e o atual vice-prefeito...

Mãos à obra!




É ISSO MESMO
Por falar em torcida, ainda que considere o horário das 19h30min extremamente prejudicial ao clube e principalmente aos torcedores, considerei o público total da última quarta-feira, de 4.137 torcedores, muito fraco pelo caráter de decisão que tinha a partida.

Se alguém ficou assustado, ou achou exagero, que  com a média de público do Avaí no Campeonato Catarinense, quase 7.000 torcedores, melhor fazer as contas...

O pior público foi na estreia contra o Metrô, 3.373 torcedores; contra a Chape, tivemos 7.506; contra o Brusque, outros 6.044; no clássico, mais 10.797 torcedores...

Aliás, o clássico, mesmo que a torcida "doladelá" não tenha comparecido como se esperava, segue como sendo o maior público do Catarinense.




FORA DA PRIMEIRA LIGA
Com o empate de 0 a 0 ontem à noite na Vila Capanema entre Paraná e Figueirense, o Avaí também deu um adeus na Primeira Liga, ainda que tenha que cumprir tabela em mais um clássico, marcado para 22 de março, às 19h30min, no Orlando Scarpelli.

No Grupo C, do Leão, o Londrina já está classificado com 100% de aproveitamento nos 3 jogos, 9 pontos ganhos. O Paraná é o segundo colocado com 4 pontos ganhos e tem boas chances de ficar com a segunda vaga. 

Para que o Figueirense se classifique, terá que vencer o clássico por 3 a 0. Se vencer por 3 a 1, empatará em todos os critérios com o Paraná e decidirá a vaga no número de cartões ou por sorteio...

Capricha, Leão!
Foto: Paraná Clube/Divulgação




DIRIGENTES DO LUVERDENSE
Na quarta-feira tive a oportunidade de conversar com os dirigentes do Luverdense Esporte Clube, o LEC, durante o intervalo da partida pela Copa do Brasil. Gente da melhor qualidade, que obviamente ficaram encantados com a nossa bela Ressacada.

Por oportuno, a cidade de Lucas do Rio Verde, berço do Luverdense, merece uma atenção maior. Dia desses recebi um vídeo pelo WhatsApp sobre as escolas públicas de lá e fiquei maravilhado, bem diferente do que acontece numa Ilha do Atlântico Sul...

Ontem, já classificados e visando o confronto com o Corinthians, a direção do LEC está cobrando o Governo do Mato Grosso por obras para a liberação da Arena Pantanal para a partida pela terceira fase da Copa do Brasil. De Lucas do Rio Verde para a capital Cuiabá são mais de 330 km...







Saudações AvAiAnAs!

6 Comentários:

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Pois é, li bobagens nas redes sociais do tipo "no ano passado estávamos rebaixados e no final conquistamos o acesso". Ou seja, há torcedores que pensam ser o Avaí apenas um quadro na parede para ser apreciado. Da idolatria sonsa a ex-jogadores para deslumbramento da história sem entender que somos um clube de futebol, este tipo de babaca-torcedor enche o saco pelas besteiras que profere por aí.

Helton disse...

Prezado André,
como sempre, tuas postagens são precisas. É óbvio que a campanha no primeiro turno foi impecável, que o Avaí está na final, etc. Contudo, é preciso ter clareza que campeonato estadual não é parâmetro para Série A do brasileiro... Sabe-se que o time precisa de alguns reforços, principalmente no meio de campo (volantes e meia(s))...
Foi uma lástima o Avaí ter deixado escapar a classificação na Copa do Brasil, pela questão financeira e também pela possibilidade perdida de encarar o Corinthians e faturar também com o próprio jogo.
Na minha opinião, deve-se encarar a sério o segundo turno, jogando com a mesma dedicação apresentada até agora. Isso sim é preparação para a Série A. Experiências com jogadores devem ser feitas com responsabilidade, visando sempre as vitórias. Assim o time vai ganhando consistência e credibilidade. Essa consistência ocorreu no segundo semestre do ano passado, e deve ser mantida...
Sobre o jogo do próximo domingo e a ideia de "poupar" jogadores, acho que deveria ser criteriosa, ouvindo a equipe médica. Tirar do jogo quem realmente tem risco de lesão por desgaste. Simples assim. Betão, por exemplo, tem tido um comportamento muito profissional, jogou todas as partidas. Se há risco de ele se lesionar por excesso, ótimo, que não seja escalado, mas creio que a maioria deveria entrar em campo, por respeito ao torcedor e ao adversário.
Abraço
Helton

Carlos avaiano disse...

Poupar jogador só em amistoso para dar oportunidade ao reserva imediato de mostrar que serve para o grupo.
Jogo oficial tem que ser o titular pois vale mais três pontos que poderão ser decisivos lá na frente.
É só pararem de contratar ex, ou atleta com problemas médicos.

André Tarnowsky Filho disse...

Aguiar,

Assino contigo. Para esconder as lambanças de uns e outros, falam qualquer besteira...

André Tarnowsky Filho disse...

Helton,

Assino contigo.
Virou postagem.

Abraço!

André Tarnowsky Filho disse...

Carlos Avaiano,

Concordo.
O Avaí está facilitando a vida desse pessoal. Muita moleza para o início de temporada. A Primeira Liga e a Copa do Brasil já se foram e agora dá-lhe "folga"...

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo