terça-feira, 18 de abril de 2017

O AVAÍ CONTRA TODOS, by Roberto Costa

Não pequemos por ingenuidade. Se a ganância humana operou mudanças no centro de poder da FCF, ceifando a vida de seu presidente no desastre aéreo, as coisas, que eram muito ruins, agora parece que tendem a piorar em termos de ingerência nos resultados dos jogos. 

A mídia aponta o time do Estreito como o do coração do novo presidente, e sintomaticamente "erros" crassos em lances capitais estão sendo o esteio da permanência desse clube na primeira divisão do Estadual, quem duvidar que faça as contas. Ou seja, o lambari é sempre pescado, mas o futebol nem sempre é jogado.

Vigora uma norma, não escrita nem divulgada, mas que se manifesta na prática, ou seja, de que não se apita pênalti em favor do Avaí. Não é de hoje, Célio Amorim pegou fama por isso e novos árbitros já enveredam por essa mesma senda. O contrato com a FCF obriga? 

O seguro morreu de velho, velho ditado. O Avaí precisa começar a se mexer quanto a isso, protestar, na hora certa fazer alarde, porque dentro de Chapecó, no Índio Condá lotado, será muito fácil qualquer árbitro aprontar, Daronco que o diga...

O pênalti do clássico e agora, frente ao Barroso, outro claríssimo, a mão do zagueiro conduziu a bola, dando ao árbitro todo o tempo de enxergar, mas favorecia ao Avaí. Se apitado, mesmo com poucos minutos de jogo restantes, havia a possibilidade da virada, coisa que a Chape, para sempre traumatizada, não haveria de gostar. O árbitro não quis arriscar.

A propósito, todos aqueles, de Paulo Branchipreto a Osvaldo Meira Júnior, que disseram não ter se caracterizado o pênalti do clássico, nenhum ouvi comentar o pênalti apitado contra o JEC em Chapecó. Lance típico de bola na mão, e a redonda tinha a direção da linha de fundo, muito, muito menos pênalti que o do clássico.

A mídia, ainda quer explorar a memória do desastre, produzir matéria, ganhar espaços nacionais e internacionais e a conquista do título pela Chape será o móvel por excelência para isso. A FCF agora tem camisa declarada, não vai querer o Avaí. Parece que será o Avaí contra todos.


* Roberto Costa é associado do Avaí FC

18 Comentários:

Nelson Andrade Filho disse...

Exatamente por isso que já esqueci o título estadual!

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Sigo uma linha diferente de raciocínio. O Avaí não precisa de ajuda, aliás, ninguém precisa. Curioso é que também no primeiro turno houve erros, a Chapecoense continuou sendo paparicada, o time da FCF continuou sendo ajudado, mas andamos com nossas próprias pernas e vencemos.
O que ocorre é que o próprio Avaí não se ajuda. Já há tempos estamos observando uma inércia nos corredores acarpetados da Ressacada (e curiosamente a mesma inércia não se repete no momento de "aparecer" na mídia), que levam a não haver reação, motivação e apuro para vencer jogos.
Se temos um time limitado, os jogadores se enfuncham mais ainda quando observam que seus superiores são gatos dormindo em cima do saco.
Enfim, vamos deixar de lado as bengalas e exigir que as soluções saiam de dentro do próprio clube.

Roberto disse...

Aguiar, também não quero que o Avaí seja ajudado. Mas é na decisão que a coisa vai acontecer. Lembra 99, lembra o gol de mão que todo mundo viu e que deu título ao time do Estreito, e aquele da tampa de palmito, com a FCF fazendo o jogo enrustido, e agora as arbitragens ridículas que salvaram esse time da B estadual.
Só na bola é complicado, é preciso sim, prevenir-se. -RC

Pablo Antony disse...

Concordo com o Alexandre. O Avaí do segundo turno foi um sono total. Se não quiser ser engolido nas finais vai ter acordar e ainda tomar uma grande quantidade de energético.

George disse...

Estou de acordo com o Roberto Costa. Um lance desses pode custar um título, estragar uma campanha. Há muita coisa em jogo. Que tenham mais responsabilidade e qualidade os homens de preto. Abs.

ney.lf disse...

Se acontecer perdermos o campeonato, o que é bem provável, não podemos procurar culpados dentro de campo pois, os verdadeiros culpados estão fora das quatro linhas.
Todos sabemos que o primeiro turno do catarinense, historicamente, se dá bem quem sai na frente, tanto na preparação física, como na manutenção do elenco e, neste quesito saímos na frente e fomos campeões. Já sabíamos também que para o segundo turno o bicho, como nos anos anteriores, iria pegar, e foi o que aconteceu.
Tivemos o returno inteiro para nos preparar adequadamente e contratar jogadores com qualidade superior ao que temos em um número mínimo de três, neste primeiro momento, para reforçar e irmos firmes e fortes para a decisão, e o que aconteceu?
A Diretoria ficou se achando a melhor das melhores, com a soberba aflorada, parecendo astros da TV dando entrevistas em rádios, televisões, internet e nos cambau e esqueceram de trabalhar, de avaliar adequadamente o elenco, de qualificar o time, de observar o que o adversário fazia e por isto, chegamos na final com uma desconfiança enorme até mesmo dos próprios torcedores. Não existe um de sã consciência que esteja convicto no título e ache o nosso time no momento superior tecnicamente ou favorito ao título.
Não estou dizendo aqui que já perdemos e que não adianta nem viajar, não é isto, no futebol tudo pode acontecer, ainda mais em uma decisão onde os nervos estarão aflorados.
Mas afirmo que, caso não logremos êxito nos dois jogos os únicos culpados para mim são os membros da Diretoria que não enxergou as limitações que todos nós víamos, só eles que não tiveram tempo de ver ocupados com os seus índices de popularidade.
Para piorar, os jogadores que já eram para estar agregados ao elenco se entrosando com os demais, só chegarão a alguns poucos dias do primeiro jogo da série A, se chegarem,
então não tem perdão!

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Concordo plenamente com o Ney. Um jogo é ganhado dentro de campo, mas um campeonato é ganhado fora dele, e nesse quesito nossa diretoria fez suflê de mosca. Pôr culpa no imponderável agora é muito mais fácil.

Adrian Goncalves disse...

Concordo com todos, porém ganhamos o turno e jogando razoávelmente bem!
Não me agrada em nada o koslinski, Diego Jardel e Marquinhos mas pelo adiantado dá hora é o que temos, e lembre se no returno perdemos lá com alguns reservas e ainda demos os dois gols a eles
Ta na hora de jogar a pá de cal
Comissão técnica e diretoria tem que ficar ligadas no piscologico para motivar nossos jogadores pois o já ganhou esta asolta em Chapecó e na imprensa nacional.
E a mais importante motivação a premiação pois além dos polpudos salários eles ainda impõe isto é aí de quem não pagar!
Já deveríamos estar calejados quanto a isso no mais é jogar bola e muita bola.

André Tarnowsky Filho disse...

Aguiar,

Sem discordar do ponto de vista do RC, foste perfeito nesse aspecto:

"O que ocorre é que o próprio Avaí não se ajuda. Já há tempos estamos observando uma inércia nos corredores acarpetados da Ressacada (e curiosamente a mesma inércia não se repete no momento de "aparecer" na mídia), que levam a não haver reação, motivação e apuro para vencer jogos."

Aliás, começamos a perde o rumo em função disso...

André Tarnowsky Filho disse...

Pablo Antony,

Será que querem acordar?

André Tarnowsky Filho disse...

Doutor George,

Claro, mas aqui não vejo ninguém sem razão, se é que me entendes...

André Tarnowsky Filho disse...

Ney LF,

Não tenho dúvidas de que os grandes culpados são os que estão fora das quatro linhas, principalmente em relação ao corpo diretivo...

André Tarnowsky Filho disse...

Aguiar,

Suflê de mosca deve ser o cardápio preferido de alguns coçadores de saco no Sul da Ilha...

André Tarnowsky Filho disse...

Adrian Gonçalves,

No atual momento, não consigo ser tão otimista quanto tu...

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo