quarta-feira, 3 de maio de 2017

AS LIÇÕES NUNCA APRENDIDAS, by Alexandre C. Aguiar

Os podres e meias-verdades que surgem agora de dentro dos intestinos da Ressacada revelam que aquele papo de “vamo vamo, Avaí” é conversa mole pra boi dormir. A velha fórmula de acasalamento de “na saúde e na doença, na alegria e na tristeza”, algumas vezes usada no mundo da bola, é apenas pra inglês ver.
Quando eu larguei o Avaí, lá pela metade do ano passado, ao perceber o que viria pela frente e conhecendo como se faz o bolo ou quantos paus se usa para construir uma canoa, muita gente me criticou, por me achar oportunista. Por sair quando a coisa ficou preta. Não sou dono da verdade, não tenho a pretensão de saber mais do os outros e nunca em minha vida torci contra o meu time, mas tenho alguns anos de estádio e outros convivendo com pessoas de dentro do estádio. O que está ocorrendo era perfeitamente previsível e foi maquiado por um acesso caído no colo, da forma como boleiros fazem quando querem, ou quando lhes dão condições de jogar. Não foi, jamais, pelos belos olhos do presidente.
Este mesmo presidente que está aí, querendo aparecer em tudo quanto é rede de TV ou nas páginas de jornais, enquanto que pelas suas costas o fogo está lambendo a cortina, era aquele que, quando vice do Amado viu a vaca indo pro brejo com banquinho, cordinha e baldinho e não levantou um dedo para ajudar. E se levantou e foi podado, como dizem e eu não acredito, era para ter denunciado, porque deveria ser uma atitude para o bem do Avaí e não para fomentar ilusões frouxas.
Mas, como as pessoas se movem apenas por resultados, numa bipolaridade absurda, ele foi carregado nos braços como imperador romano após ter vencido as tropas inimigas. Eu, no meu canto, nunca me enganei.
Neste ano, fiz postagens apontando exatamente esta bobagem de não se fazer aventuras, de cachorro que mete o rabinho no meio das pernas com medo do escuro. Clube de futebol que tem medo de campeonatos, que não investe, que não dá a cara pra bater, deve fechar as portas.
E que se aprenda uma lição importante, que muitos faltaram à aula na escola: Na vida, assim como no futebol, o que ganha jogos e conquista campeonatos é a humildade e nunca a soberba. Porém, as pessoas que estão ali dentro da Ressacada vão aprender? Jamais!
Que siga a valsa, porque ainda virão mais tormentas.
* Alexandre Carlos Aguiar é associado do Avaí FC e proprietário do blog Força Azurra

2 Comentários:

Roberto disse...

AGUIAR, a humildade é uma postura elogiável, mas não seria a grana e a estrutura que ela pode montar, o fator que ganha jogos e campeonatos? Inclusive ela pode servir também para conquistar a simpatia de forças extra-campo, como estamos carecas de saber. - RC

André Tarnowsky Filho disse...

RC,

Sim, mas hás de convir que com a soberba a tendência de tropeços é muito grande, e já vivenciamos esta situação. Portanto, teu raciocínio é correto, mas não invalida as colocações feitas pelo Aguiar.

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo