quinta-feira, 20 de julho de 2017

Bom dia, Azurras - nº 2.624

EMPATE DE BOM TAMANHO
Se o técnico Claudinei Oliveira não revelou sua equipe antes da partida, mantendo mistérios até minutos antes do início, tudo serviu para que surpreendesse não só o Corinthians, como a própria torcida.
O Avaí entrou em campo com uma formação diferente de domingo, em Salvador, mas não foi escalado pela mídia, que insistia com o retorno do meia Marquinhos. O Leão fez uma boa partida, dentro das suas possibilidades, atuando de uma forma compacta, consistente, mas em momento algum deixou de tentar a vitória, que não veio, mas o empate ficou bom para as duas equipes, até pelo que apresentaram em campo.
Não tenho dúvidas de que o Leão fez uma bela atuação, consciente, respeitando o adversário por sua técnica apurada, que lhe garante a invencibilidade até o final desta 15ª rodada. Quer queiram ou não, o Corinthians joga um grande futebol, futebol jogado, dominou a partida, mas também foi ameaçado por um Leão precavido, atento e ousado.
O primeiro tempo foi de domínio corintiano, mas a chance mais clara surgiu num levantamento de Júnior Dutra para Juan, que dominou mal e chutou com a "perna ruim", diante do goleiro Cássio. O bom Arana também chegou perto do gol de Douglas, numa etapa em que as duas equipes se estudaram demais, com evidente domínio corintiano.
Para o segundo tempo, ainda que o Corinthians fosse em busca da vitória, vi uma partida mais equilibrada, aberta, e creio que foi do Avaí a chance mais clara de abrir o placar. Num bom ataque avaiano, a bola chegou para Leandro Silva, na direita, que avançou e cruzou forte para dentro da pequena área corintiana, com a bola não se entendendo com Wellington Simião e encobrindo o gol corintiano.
Joel também chutou uma bola na trave, que por centímetros não morreria na rede de Cássio. O zagueirão Betão também colocou uma bola no travessão, mas de Douglas...
E ainda teve uma outra bola chutada de longe pelo ataque corintiano, que beijou a trave do goleiro avaiano, mas nada que assustasse demais a defensiva, e a torcida, avaiana...
Empate maiúsculo, num jogo bem jogado, e melhor que isso, mostra que o Avaí pode pensar "muito além do jardim"...
Foto: Daniel Augusto/Agência Corinthians




O TIME DE CLAUDINEI OLIVEIRA
O técnico Claudinei Oliveira escondeu o jogo, não divulgando a escalação da equipe que colocaria em campo ontem, mas como era de se imaginar, modificou a equipe em relação ao time que empatou em Salvador.

Avaí entrou em campo com: DouglasLeandro Silva, AlemãoBetão Capa; Judson, Wellington Simião e Pedro Castro; JuanJoel Júnior Dutra.

Funcionou!
Foto: Jamira Furlani/Avaí FC




DÚVIDAS
Na Bom dia, Azurras de ontem, escrevi que, entre Lucas Otávio e Welligton Simião, alguém deveria perder o lugar para Judson. E quem "dançou" foi Lucas Otávio, que diga-se de passagem, fez um bom jogo em Salvador, e ganhou a simpatia da torcida avaiana.

No ataque, entendia que Joel e Júnior Dutra estavam garantidos, e acertei na mosca!

Restavam quatro jogadores, Pedro CastroMarquinhosJuan Romário, para preencher as últimas duas vagas. E numa questão de raciocínio lógico, Claudinei Oliveira optou por dois jogadores que pudessem oferecer um pouco mais de criação e marcação, colocando Pedro Castro e Juan no time e Marquinhos e Rômulo no banco.




AS ALTERAÇÕES FEITAS POR CLAUDINEI
Além de escalar uma equipe diferente da última partida, o técnico Claudinei Oliveira mostrou confiança no desempenho do time, ao ponto de retornar para o segundo tempo com a mesma equipe que iniciou a partida.

A primeira substituição aconteceu aos 2o minutos da segunda etapa, Rômulo entrou no lugar de Juan. Aos 32 minutos, foi a vez de Marquinhos substituir o volante Wellington Simião, e por último, aos 43, Lucas Otávio entrou na vaga de Judson.

De uma maneira geral, funcionou, e mais que isso, o treinador avaiano sempre tentou vencer a partida.




DOIS CAMPEONATOS EM UM
Não tenho qualquer dúvida que a torcida avaiana, neste jogo contra o Corinthians, saiu do estádio satisfeita. Sim, ao ponto tal que acredito que este empate contra o líder do Brasileirão sirva para impulsionar um pouco mais o público de domingo, ainda que a torcida cruzeirense não se faça muito presente por aqui.

Todavia, o grande dilema da torcida avaiana hoje é saber em quem acreditar: naquela equipe que jogou as nove primeiras rodadas, ou a que esteve em campo nos seis últimos jogos?

São campanhas absolutamente diferentes, que merecem uma análise mais detalhada...




PRIMEIRO CAMPEONATO
Nas primeiras nove rodadas, o Avaí somou apenas 5 pontos ganhos, frutos de uma vitória sobre o Sport e dois empates, com Vitória e Flamengo, mas amargou derrotas para São Paulo, Chapecoense, Atlético-MG, Atlético-GO, Vasco da Gama e Fluminense...

Números pífios!

Em quatro jogos em casa, uma vitória, dois empates e uma derrota, 41,66% de aproveitamento, o que é muito pouco. Em cinco jogos fora, nenhum ponto conquistado, ou seja, NADA!




SEGUNDO CAMPEONATO
No que intitulei "segundo campeonato", foram os últimos seis jogos, onde um outro Avaí somou 9 pontos ganhos, com duas vitórias, Botafogo e Grêmio, três empates, Ponte Preta, Bahia e Corinthians, e uma derrota, Coritiba.

De uma maneira geral, o Avaí teve nessa outra etapa, 50% de rendimento, e o que é mais surpreendente, 77,77% de aproveitamento longe da Ressacada, e 22,22% em casa...

Prefiro apostar neste segundo campeonato!




SEQUÊNCIA DURA
Agora faltam quatro jogos para terminar o turno do Campeonato Brasileiro, e por razões lógicas, não há confronto fácil, muito menos para o Avaí, que tem um poder aquisitivo muito menor que seus concorrentes.

Assim, teremos as seguintes partidas:

1) 23/07 - 16:00 - DOM - Avaí x Cruzeiro - Ressacada;
2) 29/07 - 19:00 - SÁB - Palmeiras x Avaí - Allianz Parque - São Paulo/SP;
3) 03/08 - 19:30 - QUI - Atlético-PR x Avaí - Arena da Baixada - Curitiba/PR; e 
4) 06/08 - 19:00 - DOM- Avaí x Santos - Ressacada.

Capricha, Leão!





Saudações AvAiAnAs!

Patrocínio:

8 Comentários:

Paulo Henrique Miguel disse...

Espero sinceramente que o Claudinei permaneça com o ex jogador amigo da imprensa qdo precisa e porta voz do grupo qdo necessita de aparecer, sim que as viúvas do ex jogador Marquinhos engulam seus choros pois sem ele somos melhores mais fortes mais corais mais grupo mais time mais equipe mais Avaí!

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Valendo uma caixa de balas Xaxá, responda rápido sem consultar os universitários: por que este time joga alguma coisa e aquele contra o Coritiba se arrastava em campo?

ANDRÉ LUIZ disse...

Creio que estamos no caminho certo, falta pouco para acertar, se tem possibilidade de contratar, contratar um meia direita de mobilidade e um camisa 9, pq pelo que vi ontem Júnior Dutra pode ser o nosso camisa 10 fácil, mas precisa de um parceiro rápido no meio e um camisa 9 para jogar ao lado do Joel, estamos no caminho certo.

Fernando TS disse...

O Leão fez um ótimo jogo e penso que tenha sido a melhor partida do nosso time na Série A 2017. Digo isso não baseado em fatos, pontos, vitórias ou em qualquer outra dado estatístico, mas puramente no quesito “sofrimento”. Foi menos desgastante assistir à partida. Não foram tantos momentos de taquicardia e ansiedade. Traduzindo, o Avaí não ficou jogando excessivamente na retaguarda. Arriscou chutes de fora da área (ainda que fraquinhos), marcou, correu, criou jogadas de perigo, enfim, fez uma boa partida, mesmo levando em consideração as boas chances que o Corinthians teve. Diante do Sport o jogo tinha sido tranquilo também, mas, comparativamente com o que o Corinthians vem fazendo nesse campeonato, o empate de ontem foi maiúsculo. Contra Grêmio e Botafogo nós ganhamos bem, diferença de dois gols, mas tomamos uma pressão alucinante.

Aproveito para falar pontualmente de alguns jogadores:

- Douglas: mais uma vez foi importante. Repito o que o blogueiro fala sempre “como Claudinei e Joceli, ex-goleiros, não viram isso antes?”;

- Capa: certo dia falei da queda de rendimento do jogador e fui execrado (penso que com certa justiça), mas, renovo a crítica. Não é que o Capa esteja comprometendo, mas é aquela coisa, quando você sabe que alguém tem muito potencial, sempre espera um algo a mais. A verdade é que o Capa ainda não mostrou o seu melhor futebol na Série A. Não falta vontade ou disposição, mas espero mais. No começo do campeonato eu pensei que o Capa nem acabaria a Série A no nosso elenco, que logo demonstraria um futebol fino e seria comprado por outro clube antes de estourar o limite de jogos;

- Simião: não penso que ele seja um primor de volante, contudo, aos pouco começa a demonstrar que tem mais recursos que Judson e o Luan;

- Jr. Dutra: foi um verdadeiro leão. Errou bastante, mas correu, marcou, chutou, realizou jogadas interessantes e demonstrou o mínimo que esperamos dele, muita vontade;

- M10: o mais espinhoso para o final. Sei que falar do Marquinhos desperta os mais variados sentimentos. Como qualquer jogador polêmico e com história, ele divide opiniões. Não me escondo, assumo que sou uma das “viúvas” do Marquinhos. Ele é o grande jogador da minha geração (tenho 28 anos). Os próprios números e feitos dele dentro do Avaí não deixam por menos. Contudo, embora ele tenha sido importantíssimo no acesso do ano passado (a ascensão do time coincidiu com o seu retono e com a chegada de Claudinei), o seu futebol teve uma queda vertiginosa em 2017. As inúmeras lesões derrubaram o seu bom futebol de outrora e penas lampejos são vistos atualmente. É importante ressaltar que o Marquinhos, pelo futebol jogado (e não pelo o que ela já fez no Avaí), não tem mais vaga no time titular. Quando muito uma vaga no banco de reservas. O próprio sistema de jogo do time não lhe ajuda, pois precisamos de onze jogadores em pleno vigor físico para correr atrás da bola e dos atletas adversários por 90 minutos. Não sou de detonar os jogadores e não farei isso com o M10. Entretanto, o Marquinhos não pode ser escalado forçosamente por conta da sua história. Os objetivos esportivos e financeiros do clube são o nosso foco. É hora do Claudinei ter cojones e barrar de vez o galego, ainda que a mídia xarope vá encher muito o saco tentando escalá-lo em todas as rodadas.

Para finalizar, relembro a história do Fernandes no nosso rival. O ex-jogador é um cara boa praça e tem uma história bonita do outro lado da ponte, mas saiu pela porta dos fundos, cortando relações totais com o time. Acho isso muito feio.

Forte abraço aos amigos avaianos!

Fernando TS

André Tarnowsky Filho disse...

Aguiar,

Gosto muito dessa bala Xaxá...

André Tarnowsky Filho disse...

Xará Luiz,

Muito bem colocado.
Nos falta um meia pra ontem...

André Tarnowsky Filho disse...

Fernando TS,

Perfeito!
E vindo de ti, uma "viúva", creio que tem gente que vai ter que repensar o futuro...

Abraço!

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo