domingo, 25 de março de 2018

Que o Leão tenha a força da Patativa

Muito se falou esta semana de que os jogadores do Avaí não encontraram motivação para disputar alguns jogos do Campeonato Catarinense. Infelizmente, essa afirmação veio justamente do mandatário do clube, que quer queiramos ou não, é quem deveria comandar o estado de espírito desses jogadores em busca da conquista do título.

Se formos fazer uma análise mais criteriosa, salvo algumas exceções, há jogadores no elenco avaiano que não sabem o que é conquistar um título, que não conhecem a magia que uma conquista do Catarinense proporciona aos torcedores e aos próprios jogadores.

Acredito que no caso específico dos jogadores do Avaí, salvo algumas raras exceções, feito Aranha, Betão, Marquinhos, todos os outros precisam ralar muito para conseguir um lugar ao sol. Aliás, e isso não é novidade, tem boleiro (e aqui aplico na forma pejorativa, aquele que acha que joga muito futebol) que esquece de suas obrigações dentro de campo para preservar um um lugar no sereno, à luz da lua...

A motivação desse pessoal deveria ser estar jogando no Leão. Conquistar títulos, se fazer ver. Mas parece que tem gente que está no Sul da Ilha apenas passando a temporada, esperando o ano terminar para conseguir algum encaixe numa outra equipe, sempre dependendo de empresários que não tem qualquer interesse com a história do Avaí.

Coincidentemente ou não, justamente na quarta-feira passada, quando da entrevista de Francisco José Battistotti concedeu no estúdio da Rádio Guarujá, e um pouco mais tarde quando esse elenco reduziu a pó as chances do Avaí conquistar seu 17º título de campeão Catarinense, o futebol nos deu um belo exemplo de superação, de vergonha na cara, de dedicação, de como as coisas devem ser encaradas por jogadores profissionais.

Bem longe da Ressacada, no interior pernambucano, o Central Sport Clube, a Patativa do Agreste, da cidade de Caruaru, que em 15 de junho completa seus 99 anos, bateu o todo poderoso Sport Club do Recife, aquele mesmo que nos roubou uma vaga no Campeonato Brasileiro da Série A ano passado, 1 a 0, e pela primeira vez em sua história quase centenária, chega na grande final do Campeonato Pernambucano.

História de superação no mundo do futebol existem muitas, até mesmo dentro da nossa paixão pra toda vida, o Avaí Futebol Clube, mas já está na hora de mexer com o brio desses jogadores. A Série B não é competição para quem quer apenas cumprir tabela.
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

4 Comentários:

Henrique Philippi Luz disse...

meu amigo eu sempre falei desse time. sem motivaçao. um presidente frouxo. so espero que arrume este time pra serie b. sem motivaçao iremos pra c. agora motivaçao mudou de nome. imcapacidade tecnica. nosso time e ruim.

Márcio Cavalcanti disse...

Se o presidente acabou de descobrir a toda, ele está um pouco atrasado.
Desde a garantia do acesso na série B com o Claudinei no comando tivemos um catarinense que após um bom início, ajudado pelo entrosamento, patinou muito e subestimou pontos importantes para jogar com vantagem a final; depois uma série A em que por um gol não nos salvamos, e com todo o respeito que o Atlético-GO merece, mas time que perdeu os dois jogos, ida e volta, não pode reclamar de nenhuma arbritagem. E agora ele abre a boca??? Era melhor ter ficado quieto.

André Tarnowsky Filho disse...

Henrique PL,

Ao que parece, está arrumando, para surpresa de muitos, inclusive a tua...

André Tarnowsky Filho disse...

Márcio Cavalcanti,

Esse mesmo "erro" contra o Atlético-GO, também se repetiu contra o Coxa, outro rebaixado...

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo