quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

PREOCUPA-ME O JOGO CONTRA O CRICIÚMA, by Roberto Costa

Perdemos para o modesto Rio Branco de Paranaguá, mas as impressões do jogo via rádio não nos colocaram diante da realidade tanto quanto as imagens televisivas de ontem. Ontem vimos ao vivo e em cores uma apresentação muito preocupante do Avaí frente ao Paraná. Em nenhum momento do jogo levamos perigo à meta dos paranaenses.

É claro que todas as atenuantes típicas de início de temporada serão invocadas para justificar o péssimo futebol apresentado. Ninguém está devidamente em forma, a cabeça pensa, mas o corpo não obedece, etc. O Botafogo perdeu na estréia do Carioca, para o Madureira, dirão. É verdade, e ninguém mesmo vai negar que são complicados os inícios de temporada. 

Mas quem a vida toda bateu a sua bolinha e como torcedor acompanhou sempre o futebol profissional, entende um pouco do riscado. Por exemplo, por mais que possam querer negar, Kozlinski não é goleiro para o Avaí, nem para o banco. 

Em 2015 fomos rebaixados por conta do goleiro Vagner e suas falhas, toda a torcida sabia e cobrava a contratação de outro goleiro, mas preferiram mantê-lo até o fim. Não podemos incidir no mesmo erro. Kozlinski se vê atacado da síndrome do pânico em todas as bolas altas, aliás, especialidade do Criciúma, nosso próximo adversário. Estava pessimamente colocado no lance do segundo gol do Paraná, a bola vinda do escanteio passou à sua frente, na pequena área, onde goleiro sempre tem de predominar. Segundo a imprensa, falhou também contra o Rio Branco. Um horror. Precisamos de dois goleiros, urgentemente.

É possível o atleta mostrar algum talento, mesmo fora de forma. Quem sabe jogar, joga. O cara pode é não ter arranque, velocidade, impulsão. Mas sabe dominar a bola, protegê-la, usar o corpo, fazer lançamentos. Esse menino, Denilson, me pareceu assustado dentro de campo, dava impressão de um jogador amador fazendo teste num time profissional, não retinha a bola, não dividia, não ganhou uma jogada. Me pareceu inseguro o zagueiro Gustavo. Não se viu um só destaque no time que jogou ontem. E sabemos todos que o Paraná é apenas o Paraná.

Vejo com muita preocupação o jogo contra o Criciúma. O Tigre encarou o Fluminense num jogo de muita luta e velocidade, disputado palmo a palmo até os derradeiros minutos e nenhuma das duas equipes deu mostras de esgotamento físico.

* Roberto Costa é associado do Avaí FC. Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

6 Comentários:

ney.lf disse...

Roberto,

Só para lembrar: Ontem era início de temporada para o Paraná, Londrina e Madureira. Se estes ganharam sendo início de temporada porque nosso time não pode ganhar e vem sempre com esta desculpa de início de temporada?
A ruindade do time é muito grande, esta é a verdadeira razão da derrota.

Unknown disse...

Contra o parana ficou evidente:

Zaga lenta, lado esquerdo vulneravel, joao paulo ponta inofensivo, ao inves de defensivo, meia não criou nada, ataque nem chutou. Complicado. Adversario de serie B.

André Tarnowsky Filho disse...

Ney LF,

O Avaí estava tão irreconhecível, que não duvido que haja problemas nos bastidores, como aquela tal falta de "suporte"...
Afinal, a grande maioria do elenco já estava no Sul da Ilha, certo?

André Tarnowsky Filho disse...

Unknown,

Tens toda razão, o que nos preocupa ainda mais...

Carlos avaiano disse...

Será birra pela falta de pagamento do prêmio do acesso fato que era obrigação de conquistarem quando assinaram para jogar e não fazer corpo mole e que diretores aceitam guela abaixo estas chantagens?

André Tarnowsky Filho disse...

Carlos Avaiano,

A informação que obtive foi de que as contas estão em dia, portanto...

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo