segunda-feira, 10 de abril de 2017

FOMOS GARFADOS, by Roberto Costa

"ELES SÃO FORTES NA ARBITRAGEM", do atacante Fred, do Atlético-MG, quando jogou no Scarpelli...

Quando é que vamos ver no Scarpelli um erro de arbitragem favorecer o time visitante? Faz tempo venho esperando por esse momento. Aconteceu erro de arbitragem, o favorecido é sempre o mesmo, o time da casa. E temos de acreditar que seja acaso. E há sempre um contingente de pessoas dispostas a achar uma explicação, a puxar do bolso alguma teoria qualquer para justificar ou "legalizar" o "erro".

Há uma norma, ou recomendação da CBF, no sentido de que os lances envolvendo toque de mão dentro da área sejam punidos com a marcação da pena máxima. Não começou hoje, nem ontem a aplicação dessa norma que dispensa a exigência de intenção do agente faltoso, e em todo o Brasil a norma está sendo aplicada, inclusive em nosso Estado. E temos de suportar o ex-árbitro Osvaldo Meira Júnior forçar a barra pra justificar o furto de mais um pênalti do Avaí, alegando que na Europa é diferente. Tá bom Meira, o que vale no Brasil inteiro não vale no Scarpelli, no Scarpelli vigora a regra européia. Aliás, depois dessa, podia a RBS dar espaço a alguns outros ex-árbitros, que falem como pessoas normais e não como donos da verdade. Esse já encheu o saco e é mais um a brigar com as imagens da câmera. No lance ficou claro que o zagueiro desviou o braço em direção à bola. Pênalti, fomos garfados.. 

O time do Estreito entrou pra bater, pra assustar e confirmou isso em menos de dez minutos de jogo. Aí o árbitro começou a lambança, não teve peito pra dar cartões coibindo os agressores e desmoralizou seu trabalho.

Os erros de arbitragem favorecendo o time barbie já representaram quantidade considerável de pontos. Erros que vêm sendo importantes no impedimento de sua possível queda à segundona do Estadual. Os times menores que se aguentem. 

Acho que ontem Claudinei poderia ter saído um pouco mais para o jogo, não ter oferecido por tanto tempo o campo ao adversário, quando fez isso, nos quinze minutos finais, criou boas chances de gol. Acho também que precisa variar um pouco de estratégia, a saída com Capa pela esquerda já está manjada e vem sendo bloqueada por todos os adversários. Na série A já não será novidade. Acho que goleiro para a série A tem que ter sangue frio e experiência, parece que Koszlinsky tremeu, e era apenas o Figueirense. Betão com a regularidade de sempre, e Júnior Dutra e Denílson se destacaram.

Aliás, em Blumenau o Héber também expulsou de forma um pouco estranha um jogador do Metropolitano, que jogava de igual para igual com a Chape. O jogo estava parado, o jogador de costas para o Héber, sem lhe dirigir a palavra, e recebe o cartão vermelho. Alguém disse que o jogador falou palavrão. Ora, o palavrão desde muito se tornou lugar comum, as mulheres já o adotaram, e se não foi dirigido ao árbitro com intenção de ofender, acredito que seja inócuo, não constitui falta cabível de punição. Os treinadores gritam livremente palavrões que saem captados pelas câmeras da TV e entram em nossas casas. O gramado não é igreja. O palavrão hoje faz parte do linguajar corrente do brasileiro. Mas, uma vitória do Metro também preocupava muita gente, pois também complicaria a situação do time do Estreito. Assim, um mero palavrão lançado ao ar justificou a expulsão decretada pelo Héber, e trouxe alívio pra muita gente no Estreito... Esse mesmo Héber, a quem o jogador França, quando jogava no time do Estreito, deu de dedo, falando o que bem quis, e não foi expulso.

* Roberto Costa é associado do Avaí FC

16 Comentários:

Alexandre Carlos Aguiar disse...

"o que vale no Brasil inteiro não vale no Scarpelli, no Scarpelli vigora a regra européia". Hahaha, ótima.

Adenilson disse...

Muito mais do que o lance do pênalti, me preocupa o fato de o Avai sempre iniciar os jogos jogando pior do que os adversários, independe de qual seja. Bastava jogar um mínimo de futebol pra ganhar desse time do Figueirense, que é muito fraco, e vai perder pro Tubarão, provavelmente.
Neste momento, esse negócio de clássico se um jogo diferente acaba realmente atrapalhando, porque "libera" jogador a dar bagão, tirar de qualquer e esquecendo de jogar bola. Como falei, era só jogar um pouco, e o segundo tempo diz isso, para ganhar de time fraco deles.

Adenilson

Antonio Bernardes disse...

Temos 2 situações: Salvar o time do Estreito e dar o título pros coitadinhos. Nesta rodada ficou evidente que vão fazer isto. Pênalti não dado pro Avaí e expulsão arrumada pro verdão. Pelo jeito o Campeonato acabou, a FCF já escolheu o Campeão.

Roberto disse...

Vai perder pro Tubarão, Adenilson? Só se deixarem, o que não acredito. Vai haver pênalti, ou expulsão, coisas desse tipo.
O Tubarão que se prepare. - RC

Nelson Andrade Filho disse...

Que belo comentário! Você viu o jogo que eu vi e que pessoas coerentes e honestas também viram.
Parabéns!!!

ManoelNilson disse...

Sr. Antôni Bernardes, a expulsão em Blumenau de fato foi muito estranha, mas o campeonato não acabou. Basta o Avaí jogar, coisa que deixou de fazer faz tempo.Nos, avaianos,é que estamos tampando o sol com a peneira com este time que tem apenas jogadas manjadas e que não evolui com o tempo. Temos um time mal treinado, tenho coragem de dizer, com saidas apenas pelas laterais e meio de campo vulnerável. Time previsível que qualquer outro sabe marcar e neutralizar. Precisamos evoluir muito, sob penas de continuarmos a jogar culpa nos outros. Time campeão é aquele que supera até erros de arbitragem.

ney.lf disse...

A reclamação é justificada sim mas, o nosso Técnico não cria variações de jogadas nem do sistema de jogo.
Todos os jogos tomamos um banho de bola no meio de campo porque jogamos com dois que somente marcam e outro que não tem obrigação de marcar mas, sozinho não consegue criar nada porque a nossa meia cancha é envolvida pelos adversários.
Gostaria de pergunta ao Claudinei se na série A com times muito mais qualificado que os do Catarinense, se ele vai jogar com esta meia cancha correndo atrás dos adversários o jogo todo?
Se não mudar o esquema de jogo em conformidade com o adversário não faremos 20 pontos no total.
Na série A temos que marcar muito e jogar mais ainda se quisermos alcançar a vitória e para isto temos que povoar o meio de campo para não dar espaço para os adversários. Nossa melhor campanha na série A, para quem não se lembra, foi jogando no 3-5-2 com variações para o 3-6-1.
Nos somos time pequeno na série A e se jogarmos frouxinho como estamos fazendo vamos levar várias goleadas, com certeza.
Na decisão conta a Chapecoense, sendo lá ou cá, já temos que ganhar a meia cancha valorizando a posse de bola para não ficar o tempo todo ataque contra defesa, inclusive no jogo de ontem contra os pivetes do estreito, uma vergonha!

Roberto disse...

A FOTO É CLARA, A MÃO ESQUERDA DO ZAGUEIRO PROTEGE O ROSTO, ENQUANTO A DIREITA, ALONGADA EM RELAÇÃO AO CORPO, DESVIA A BOLA. - RC.

André Tarnowsky Filho disse...

Adenilson,

Fomos incompetentes...

André Tarnowsky Filho disse...

Antônio Bernardes,

Sem dúvida!

André Tarnowsky Filho disse...

RC,

Anotes porque estou escrevendo antes do jogo: Tubarão 0x0 Figueirense.
E depois da partida, um jantarzinho entre amigos...

André Tarnowsky Filho disse...

Nelsinho,

Tu és um artista!

André Tarnowsky Filho disse...

Manoel Nilson,

Hoje vejo que este é nosso maior problema: jogar!
Sem começamos correndo atrás do adversário...

André Tarnowsky Filho disse...

Ney LF,

Boa análise, mas com esse meio de campo, não vamos ganhar de ninguém, ao menos jogando desse jeito...

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo