segunda-feira, 7 de agosto de 2017

CLAUDINEI ACHOU O PONTO DE EQUILÍBRIO? by RC

Como é complexo e surpreendente o futebol. Depois do desastre em Curitiba, onde essa mesma equipe foi batida e humilhada, caindo por cinco a zero frente ao Atlético Paranaense, ninguém em sã consciência esperava essa imediata recuperação, física e moral.  Em verdade, temíamos a possibilidade de mais um resultado vexatório frente ao poderoso Santos, da Vila Belmiro.

Já pedíamos a cabeça do treinador, mas Claudinei e seus comandados deram a melhor resposta à torcida, uma atuação de grande intensidade, onde o time merecia os três pontos da vitória, e não apenas o ponto minguado e injusto do empate. Três pontos que poderiam ter vindo, não fosse a atuação do árbitro, que respeitou a camisa do Santos omitindo-se na marcação do pênalti sobre Joel, e usou critério mais favorável ao time paulista na marcação das faltas, sendo seguidamente vaiado pelos torcedores. 

Com essa firme atuação, Claudinei ganhou fôlego no comando da equipe, mas a pergunta que se impõe, entretanto, é se o futebol, a intensidade, o espírito de luta desempenhados na noite de ontem se farão presentes no restante do Campeonato. É que este efeito revigorante do nosso astral foi experimentado pela primeira vez na vitória sobre o Botafogo, no Rio, tornou a acontecer em Porto Alegre contra o Grêmio, depois no empate com o líder Corinthians, na vitória sobre o Cruzeiro, mas tudo isso entremeado com as acachapantes goleadas sofridas contra os paranaenses, Coritiba e Atlético. Em resumo, será que Claudinei finalmente achou o ponto de equilíbrio do time? Ou vamos ter logo à frente novas decepções contra os chamados "times do nosso campeonato?"

Acho que o grande segredo é em todos os jogos, em casa ou fora, a marcação em campo inteiro, o sufocamento do adversário desde sua saída da defesa, como foi feito ontem. Mas é estratégia de grande desgaste físico, o que vai exigir algum rodízio de jogadores, a fim de que o grupo não se esgote no meio do caminho. Para rodízio é evidente que novos atletas precisarão ser contratados. Batisttotti vai ter de se coçar.

Portanto, parece que este  time, se jogar sempre motivado e encaixado como o fez ontem, pode nos surpreender positivamente, garantir nossa permanência na primeira divisão, quem sabe uma Sul Americana.

Os comentários do Troca de Passe ontem à noite na TV, deixaram uma impressão equivocada do que foi o jogo. Deram um realce muito grande ao último lance, o quase gol do Junior Dutra, como se tivesse sido a coisa mais importante que fez o Avaí. Também maneira de valorizar a defesa do goleiro do Santos. Mostraram e comentaram lances polêmicos do jogo Bahia e São Paulo, pênaltis não apitados, mas o pênalti que nos roubaram não mereceu qualquer referência. 

* Roberto Costa é associado do Avaí FC

4 Comentários:

Roberto disse...

Paulo Branchipreto e Faraco, estão agora, 13,20 horas, em comentários no deboche diário, gastando o verbo sobre uma possível dispensa do treinador Claudinei, do Avaí.
Como sabemos, Claudinei fez uma campanha INVEJÁVEL, que levou o Leão à série A. Eu disse INVEJÁVEL.
Ah, e o time do Estreito está sem técnico.
Tereriam intenções quase veladas? - RC






Fernando TS disse...

Nobre Roberto Costa. Diante do que tu escreveste, penso que a palavra “oscilação” resume e retrata o que temos visto do nosso time na série A. De fato há um padrão de jogo (jogo defensivo) , contudo, a cada jogo esse padrão se apresenta de forma diferente, pois há jogos que estamos completamente apáticos e outros que fazemos atuações vigorosas. Nunca sabemos qual o nível de apatia/motivação encontraremos no jogo seguinte. Como não vejo movimentações para reforçar o nosso time – principalmente o meio campo -, só resta torcer pelos que estão na Ressacada.

Aproveito ainda para falar do M10. Fico com sentimentos divididos quando ouço falar do jogador. Racionalmente sei que ele não tem mais condições de jogar futebol em um nível aceitável. Emocionalmente lembro que ele trouxe alegrias gigantescas para o nosso clube.

Quando o Avaí estava em seu pior momento no campeonato, o Marquinhos foi eleito por muitos como a peça fundamental nos péssimos resultados. Entretanto, lembro que o leão sofreu derrotas com e sem ele, entre elas o vexame em Curitiba. Acredito que o jogador não deva ser apontado como a reencarnação do fracasso. A situação do M10 no Avaí é culpa exclusiva da Diretoria, que até então não teve “cojones” para resolver a situação do jogador.

Forte abraço

Fernando TS

André Tarnowsky Filho disse...

RC,

Eles fazem de tudo para desestabilizar o Sul da Ilha e tem otário que ainda os recebe de braços abertos...

André Tarnowsky Filho disse...

Fernando TS,

É muita oscilação para um time só...
Quanto ao M10, te conforma, ainda que sejas uma viúva: nada pode alterar nosso time com ele, pelo contrário...

Abraço!

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo