segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

CATARINENSE 2017: METROPOLITANO, by Rodrigo Santos

CLUBE ATLÉTICO METROPOLITANO
Fundação: 22 de janeiro de 2002
Cores: Verde e Branco
Estádio: Sesi (Particular) - 6000 pessoas 
Presidente: Pedro Nascimento
Técnico: César Paulista
Ranking "BdR" 2016: 8o. Lugar
Catarinense 2016: 7o. Lugar


O Metropolitano, que completa 15 anos de existência no dia 22 de janeiro, teve um 2016 bem complicado. Pra começar, não pode mandar seus jogos dentro do estádio do Sesi por causa de reformas na pista de atletismo. Jogando em Jaraguá, o time teve dificuldades, pouco público e não conseguiu mais que um sétimo lugar, com seis derrotas e oito derrotas. Iniciou o catarinense com Valdir Espinosa no comando, que acabou substituido pelo sobrinho Caco, também limado do clube em abril. Menos mal que o time conseguiu se segurar na primeira divisão e conquistar a vaga na Série D por dois anos. No segundo semestre, com orçamento muito mais limitado, o Metrô sequer passou da primeira fase, algo meio que esperado, já que a ordem era economizar e não perder a vaga na D em 2017.


Desde o início dos trabalhos para esta temporada, a diretoria passou o recado que não poderia exagerar nos gastos. E a solução caseira é, de certo modo, a correção de uma injustiça. César Paulista, craque dentro de campo e bom treinador fora dele, era tratado como um tapa-buraco. Se o treinador não dava certo e o time estava em baixa, lá vinha o César para arrumar a casa. Desta vez é diferente, com ele capitaneando o projeto desde o início. Com a missão de fazer um bom time com um orçamento limitado, em uma situação que não está sobrando grana pra ninguém.

O time do Metrô para esse estadual tem muitos nomes desconhecidos aqui no Estado, mas tem algumas figuras carimbadas, caso do meio-campo Thiago Cristian, que por aqui já jogou no Concórdia e no Brusque, além do próprio Metropolitano, do veterano atacante Sabiá, que no ano passado jogou a segunda divisão pelo Juventus de Jaraguá do Sul, e o argentino Mariano Trípodi, outro que retorna a Blumenau depois de uma passagem nada boa pelo Joinville e um tempo no futebol argentino.

O desafio do Metropolitano para o Catarinense 2017 não é uma novidade para Cesar Paulista, que tem competência e capacidade para montar bons times sem que o clube gaste um caminhão de dinheiro. As atuações do time nos jogos-treinos, considerando que, por economia, o trabalho começou somente no dia 2 de janeiro, dão esperança para que o time faça um bom campeonato.

2 Comentários:

Nelson Andrade Filho disse...

Com todo respeito, mas também é adversário.

André Tarnowsky Filho disse...

Nelsinho,

Estou reproduzindo textos sobre todos os nossos adversários, todos de autoria do jornalista Rodrigo Santos. Simples assim.

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo