sexta-feira, 3 de março de 2017

QUEM MAIS AJUDA É AQUELE QUE NÃO ATRAPALHA, by Alexandre C. Aguiar

Enquanto estava em meu retiro etílico-gastronômico na bela Costa de Dentro, afastado das folias momescas, acompanhei de longe algumas energias dispendidas ao jogador Alemão. Achei curiosa a iniciativa de se bombardear um jogador que não foge da responsabilidade, que erra e acerta na mesma proporção e que não se intimida com suas próprias limitações.
Ao chegar à Ressacada para acompanhar o jogo do Avaí pela Copa do Brasil, nesta quarta-feira de cinzas, ouvi a escalação oficial pelos alto-falantes do estádio e, junto a ela, vaias quando o nome de Diego Jardel foi mencionado.
Já durante a partida, ora Ferdinando, ora Capa, algumas vezes Leandro Silva ou Rômulo e por diversas vezes Diego Jardel novamente eram os alvos da torcida.
Mas, havia um jogador que era poupado, mesmo que no meio de campo desse passes errados, cobrasse escanteios pífios e faltas ridículas e, num jogo decisivo como aquele, se dedicasse a “mandar” um ou outro jogador se posicionar no campo, mas que não marcava e nem fazia o jogo avançar. Cheguei a mencionar com alguns ao meu lado que ele deveria ser substituído, para que o jogo fluísse, para que o futebol do Avaí se tornasse mais dinâmico. Fui repreendido, pois quem deveria sair, segundo o retruco, era Diego Jardel.
E quando era para ser o protagonista, o sujeito que levaria o time à próxima fase, ele acabou perdendo mais um pênalti e mais uma vez jogou seus companheiros jogadores na responsabilidade de resolver a sua absurda deficiência.
Estou falando, é claro, de Marquinhos Santos. E invoco o que escrevi aqui, que se trata de algo de jogo. Não é a primeira vez que falo isso e não vou me omitir tantas e tantas vezes em dizer que é, hoje, um jogador nulo para o time. E, ao que parece, ninguém no clube e muito menos na torcida, tem coragem de pedir sua saída. Eu tenho!
A propósito, não sou idiota de imaginar que tenhamos um time imbatível e muito menos que nunca irá perder. E este time do Avaí tem créditos e a torcida está satisfeita pelas campanhas. Não estou falando em terra arrasada e quem tem mais de dois neurônios sabe disso. A questão não é por resultados ou por desempenho do time. A discussão deve se basear em quem, hoje, no Avaí, tem as responsabilidades, uma vez que, numa hora ela será devidamente necessária. Por méritos, Marquinhos Santos tem, mas não as cumpre. E está longe de ser um jogador decisivo. Aliás, está longe de ser um jogador de futebol.
Por isso mesmo, ao se bombardear Alemão, Ferdinando, Rômulo, Diego Jardel e outros é algo estúpido e infeliz, uma vez que eles não são os reais protagonistas do time. Deve-se dar o devido valor a quem o possui. Ou não.
Marquinhos Santos, para o bem do Avaí, e se fosse mesmo o torcedor do clube que diz ser, deveria já, na próxima semana, na virada do turno do estadual e ainda muito longe do início da Séria A, pedir o boné, pendurar as chuteiras e decretar sua aposentadoria. Ajudaria, em muito, para o clube sair atrás de um meia que o substituísse e desse mais tranquilidade ao grupo. Sim, o grupo do Avaí joga pressionado, porque tem que fazer caridade para um ex-jogador, e jogar nas deficiências visíveis demonstradas por ele.
Porque, quanto mais se quer, quanto mais se espera por ele, quanto mais se deseja que o time avance com ele, mais ele falha. Que pendure logo as chuteiras, para o bem dele e do Avaí, portanto. A história não vai negar sua importância, mas os resultados, sim.
Aliás, gostaria de saber qual a razão de os meninos e meninas que fizeram abaixo-assinado para mudar cor de camisa, alegando que ela não representa as cores do Leão, não aproveitarem e fazer um documento similar pedindo a aposentadoria do Marquinhos Santos, alegando que ele mais atrapalha do que ajuda? Taí a dica para quem diz que pensa no Avaí.

* Alexandre Carlos Aguiar é associado do Avaí FC

10 Comentários:

Adrian Goncalves disse...

Sensacional,sem tirar uma vírgula!
Ele já demonstrou seu valor agora é hora de ser torcedor literalmente e ajudar o Avaí poupando nos de seu alto salário é total falta de condições para a prática do futebol atual que é quase que totalmente físico.
Battistoti abre o olho a hora que o grupo cansar de correr por ele que tem que ser "poupado" para um jogos sem maior expressão é só jogar na boa em casa, não diga que não foi avisado aí vão dizer que faltou suporte!

Marcio disse...

Aguiar, penso não ser o momento para se levantar tal questionamento.
Fosse final de temporada, com o fim dos campeonatos, até entenderia tal preocupação.
Esse tipo de comentário nesse momento provoca desconforto e diferenças nos corredores do Clube e acaba fomentando a ira de torcedores que adoram reclamar do time e do Marquinhos.....
Vamos esperar... acredito que o Clube e o jogador saibam o que querem e o que é melhor para ambos.
Na minha opinião, Marquinhos ainda é útil ao grupo....e muitos pensam como eu!!!!

André Tarnowsky Filho disse...

Adrian Gonçalves,

Que ninguém se engane: já vimos esse filme em 2013!

André Tarnowsky Filho disse...

Márcio,

Até podes ter razão em alguns aspectos, mas dentro do campo não é o que estamos vendo.
E repito o que coloquei semana passada: a "Marquinhosdependência" está acabando, com a classificação na primeira fase da Copa do Brasil e com a conquista do primeiro turno em Itajaí, sem ele em campo.
Não discuto as qualidades e história do M10, autor de um dos lances mais belos que vi na Ressacada, o gol contra o Bahia em 2008, mas...

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Lamento desapontar quem ainda nutre idolatrias pelo Marquinhos, mas só posso dar minhas condolências, na medida em que estamos falando de futebol e não de chá das cinco de madames.
Marquinhos foi importante para o Avaí? Mas é evidente. Nunca se duvidou disso. Seu nome, como o de muitos jogadores importantes está lá, na história. Mas passou. é hora de avançar. Os adversários sabem que ele é importante, mas vão justamente jogar nas deficiências dele, enquanto nós ainda relativizamos. Zico foi um baita jogador, Pelé idem. maradona nem se fala. Romário foi um gênio. Mas todos pararam quando viram que não dava mais. Tá na hora do seu Marcos Vicente dos Santos, e ainda dá tempo de arrumar o time.

Sérgio Bayestorff disse...

MAarquinhos precisa ser repensado, concordo.
Qto as vaias, vc deve ter ido a outro jogo.

André Tarnowsky Filho disse...

Presidente Bayestorff,

Não, foi na quarta-feira mesmo...

Postar um comentário

A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS FOI ATIVADA. Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos, antes de serem publicados pelo autor do Blog.

Odontokist

Arquivos do Blog

  ©André Tarnowsky Filho - Todos os direitos reservados.

Modificado por Marcos TOTÔ | Template by Dicas Blogger | Topo